Na semana passada eu chamei a Isadora pra tomar um sorvete.

Quem me tem no facebook já sabe o final dessa história: fomos assaltadas em frente ao meu prédio. Ficamos sem sorvete, sem nossas bolsas (e outros pertences) e sem paz.

Na hora dá um misto de tristeza, revolta, impotência e vazio que a gente não consegue controlar. Dá vontade de ganhar colo. De ficar quieta. De não se expor.

Mas o tempo é sempre o melhor remédio. Tempo e açúcar :)

Não vim escrever sobre mimimi; vim compartilhar afeto pá-pum em forma de cookie.

Procurando uma receita delícia de biscoito pra presentear algumas pessoas queridas no natal, eu acabei encontrando esta: cookie de Nutella com 3 ingredientes!

o_O

Sério! 3 ingredientes!

Antes de correr pro mercado comprar Nutella, pesquisei em inglês a mesma receita e achei outras proporções dos mesmos ingredientes e variação grande do tempo de forno.

Então, o que vou compartilhar com vocês é o que eu fiz (uma média de tudo que eu li!) e que deu super certo – sabor incrível, textura perfeita e facilidade nível kids!

Vamos lá!

biscoito3

Cookie de Nutella

ingredientes:

– 1 ovo (prefira sempre orgânico!)
– 1 xícara de nutella (foi quase o potinho inteiro de 350g)
– 1 xícara de farinha sem fermento

ah, você vai precisar de papel manteiga pra “untar” a assadeira!

modo de preparo:

Comece ligando o forno em 180ºC. O tempo de preparar a massa é o tempo de pré-aquecer o forno (10 minutos).

Misture o ovo com a Nutella. Em seguida adicione a farinha aos poucos. Comecei usando uma colher pra misturar, mas conforme colocamos a farinha, a massa vai ficando pesada. Ficou melhor mexer com as mãos mesmo! O ponto final é uma massa homogênea que desgruda das mãos. A minha ficou bem “molhada”.

Forre a assadeira com papel manteiga. Faça pequenas bolinhas – fiz do tamanho de um brigadeiro – de massa e coloque na assadeira. Achate as bolinhas usando o fundo de um copo ou os próprios dedos. Leve ao forno por aproximadamente 17 minutos.

Eu fiquei monitorando os cookies a partir dos 6 minutos. Estavam bem brilhantes ainda. É importante tirá-los do forno ainda moles porque quando esfriam, eles endurecem. A medida que usei foi ver rachaduras na superfície. Como eu amassei as bolinhas com o fundo de uma xícara, eles estavam bem lisinhos. Assim que racharam, tirei do forno! Sugiro que você monitore seus cookies a partir dos 12 minutos – lembre-se que cada forno é diferente!

Espere esfriar e voila! :)

Cookies crocantes por fora e macios por dentro! Lembra uma textura de brownie!

biscoito2

biscoito1

Receita aprovadíssima, já entrou pro caderninho junto com o meu famoso bolo de milho :)

♥,
S.

PS.: me desculpem a overdose de turquesa!

Inevitável sentir uma vontade incontrolável de doce nesse friozinho!

Então resolvi compartilhar uma receitinha zás-trás de bolo de milho com coco e sem farinha <3 Juro pra você que é carinho feito no liquidificador :) ingredientes

ingredienteSES_7131

3 ovos inteiros
1 lata de milho verde escorrida
1 lata de leite condensado
100 g de coco ralado
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de fermento

modo de preparo

Coloque todos os ingredientes – exceto o fermento – no liquidificador e bata por 4 minutos. Adicione o fermento e bata só mais um pouquinho pra misturar.

Unte uma forma média, coloque a massa e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC. Deixe o bolinho assando entre 30 minutos a 1 hora. Aqui em casa deixo o meu 45 minutos, ele fica com casquinha e beeeem molhadinho por dentro.

pronto

O sucesso é garantido :)

bônus: Além de fácil e rápido, ainda é glúten free :)

♥,
S.

Hoje eu comecei um processo definitivo na minha vida. A hora e lugares certos parecem nunca chegar então decidi que seria hoje, do jeito que é, do jeito que dá.

Me empolgo com histórias de superação, choro, me envolvo… até que dez minutos depois a minha cabeça de gordinha volta a agir e eu me rendo a seus pensamentos.

Minha briga com a balança existe desde que me lembre conheço por gente. Hoje vejo que na adolescência era uma perda de tempo. Mas nos últimos 2 anos e meio a coisa ficou séria. Ficou coisa de gente grande, como eu também fiquei. Não são mais 4 kilos pra fora do biquini. São 15kg. Distribuídos da maneira mais disforme que poderia ser. E com a vida louca que levo, sem hora pra trabalhar, com quase nenhuma disciplina, quase me convenci que poderia viver pra sempre nesse corpo. Mas a verdade é que não consigo. Essa não sou eu. Meu corpo é minha casa e se ele não estiver na melhor forma, nunca estarei 100% pra fazer as coisas que eu amo. E eu quero estar.

Como falei em outro post, 2013 é o ano de cuidar de mim, de viver as minhas escolhas e não deixar a vida me levar como um barquinho à deriva. Quero apontar a direção e chegar onde eu quero. Nem um pouco pra lá ou pra cá…

Preciso recuperar o controle total do que é possível controlar e isso inclui dominar o meu peso. Deixar de ser uma sanfona e virar logo essa mulher que eu já sou aqui dentro. Já fiz de tudo, já usei todas as desculpas – algumas até fundamentam o que penso e como vim parar aqui, mas não podem me impedir de ser o meu melhor. Agora chega. Aos 32 anos chegou a hora de parar tudo e correr atrás do que me faz feliz. E por mais feliz que eu esteja, sei que 5 kg a menos me fariam muito mais feliz. 10 kg a menos então… será um sonho. E quando atingir minha meta, serei a pessoa mais serena desse mundo. Porque isso refletirá na minha saúde, no meu trabalho, no meu casamento, no meu modo de ver a vida. Sem contar a satisfação de vencer um desafio.

Voltando às histórias de superação, estou apaixonada por essa menina que escreve esse blog. A Camilla é super baby e perdeu 24 kg sozinha. E uma coisa que fez diferença pra ela foi o livro Pense Magro, o mesmo que minha terapeuta sugeriu pra mim em dezembro. Achei que eram muitos sinais pra ignorar e fui atrás do livro.

O livro está esgotado em quase todo lugar mas dá pra encomendar. Mas quando decido uma coisa, tem que ser agora. E a minha felicidade em achar o livro em PDF e poder ler no iPad? :))) – se quiser, coloquei ele aqui. Li o comecinho e entendi logo porque o livro é tão diferente de todos os outros: ele não ensina uma dieta; ele dá tarefas diárias por 6 semanas pra que você seja capaz de alterar seu padrão de comportamento e parar de pensar como gordo! Como? Usando terapia cognitiva.

Tudo que você precisa pra aplicar o método da Dona Judith S. Beck são: força de vontade – você pode encontrar em abundância dentro de você; um caderno, alguns post its e fichas de arquivo.

pensemagro

O nome deste post se refere à primeira tarefa: fazer uma lista das vantagens de ser magro pra ser lida pelo menos duas vezes por dia todos os dias do processo. Fiz uma lista imensa :)

Sabe aquela sensação de “agora vai”? Espero poder comemorar em alguns meses os frutos do que estou plantando hoje, definitivamente. Obrigada por ficarem aqui ouvindo meu desabafo.

E recadinho pra mim mesma: se você quer ser feliz, seja.

♥,
S.

bom dia =)

2013 chegou e eu estou completamente apaixonada pela ideia desse novo começo.

Janeiro é só um pedacinho de uma nova jornada, como se fosse o café da manhã :). E pela primeira vez nos últimos anos me sinto dona da minha vida, preparada pra cuidar de mim, do meu trabalho e das pessoas que eu amo. Mal posso esperar pelas boas surpresas. E também pelos obstáculos.

E resolvi dar uma pausa nas minhas férias offline pra postar uma receita delícia de panquecas fofinhas que deixa qualquer café da manhã especial <3 Estou no Canadá visitando uma amiga linda que amo muito e hoje, numa manhã gelada de inverno, ela preparou pra gente essa gostosura. Juro que vale cada caloria :) A receita é simples - como as melhores coisas da vida - e a gente comeu com maple syrup puro (xarope da árvore bordo muito consumido por aqui e nos EUA) e com caldinha de berries (que foi minha humilde contribuição). Então desejo que seu 2013 seja assim: simples, verdadeiro, feito com amor e cercado de pessoas que você ama. Espero que você realize sonhos e ouse sonhar novos. Feliz ano todo <3 Agora, a receitinha que a Marcela me passou: Pancakes Old Style

1 1/2 copo de farinha de trigo
3 1/2 colher de chá de fermento em pó
1 colher de sopa de açúcar
1 1/4 copo de leite
1 ovo
3 colheres de sopa de manteiga derretida
1 pitada de sal

Em um vasilha grande junte a farinha, o fermento, a pitada de sal e o açúcar. Misture bem.
Faça um buraco no meio e aos poucos coloque o leite, mexendo sempre para não empelotar.
Coloque a manteiga derretida e o ovo, misture até tudo ficar homogêneo.
Frite em uma frigideira anti aderente, fogo médio, sem amassar a panqueca.

Dicas da Má:
Se usar manteiga com sal, não colocar a pitada de sal.
Coloque um ingrediente molhado por vez, assim não corre o risco da massa ficar com pelotinhas.
Eu sempre coloco na ordem: leite, manteiga, ovo :)

>> o maple syrup a gente compra pronto, sei que em São Paulo é possível encontrar em lojas de artigos importados

>> a caldinha de berries:

com um garfo, eu esmago framboesas e amoras e salpico um pouco de açúcar. Depois adiciono as blueberries inteiras e só! É uma geleia “crua”.

bon appetit ;)

pancakes1

pancakes2

pancakes3

♥,
S.

envelhecer

A celulite, as ruguinhas, os fios brancos de cabelo, o metabolismo lento, a perda de massa muscular e outros “quem-avisa-amigo-é” não param de me lembrar que não tenho mais 20 anos. E um dia a gente pensa que não vai sobreviver às outras fases da vida. Pelo menos não tão feliz como já fomos… mas o que a gente esquece de pensar é que num corpo de 32 anos, mora também uma cabeça de 32 anos. E ainda um coração de 32 anos. E que “envelhecer” é naturalmente delicioso.

Preguntei pra minha mãe qual a melhor coisa de estar com 62. E ela disse que é não se importar tanto com as coisas. E por um segundo eu quis ter 62. Depois pensei na fase da escola, a maravilha que era almoçar com video show na TV, jogar bola e, no máximo, ter que se preocupar com as provas… e por um instante quis ter 13. E então pensei no meu aqui agora. Nas minhas conquistas, nos sonhos que arquivei, nos novos sonhos que inventei… e percebi que eu queria ser exatamente quem eu sou e estar exatamente aonde estou. Eu amo a minha vida. Minha família linda, meu marido que foi feito pra mim, meus caninos, meus amigos – que hoje sei serem poucos e (muito) bons – minha profissão e carreira.

Tenho 32 anos, com cabeça oscilante entre os 13 (às vezes 5!) e os 62, mas na maior parte do tempo sou meu próprio número, 32.

É tão bom ver que com o tempo a gente vai sempre se transformando numa melhor versão de nós mesmos… claro que tenho 1001 coisas que quero mudar… no trabalho, no dia a dia, em mim. Mas não tem mais aquela urgência. O que tem agora é o prazer de saborear coisas simples e pequenas, que sempre me fizeram feliz. Mas que hoje estão ainda mais em evidência.

Meu aniversário é 15 de novembro e esse ano foi um feriado caprichado. A previsão prometia chuva pra quase todos os dias e muitos dos amigos importantes foram viajar. Mas dessa vez, não fez diferença. Porque outros amigos importantes estavam aqui. Alguns são novos na minha história, outros me acompanham há mais de década. Então no dia 15, cansada de verificar o climatempo, resolvi fazer sim o picnic que planejava há anos. Acordei, fiz uma foto na toalha que tá aqui em casa há mais de ano e mandei pros queridos correndo. Tipo, com 24 h de antecedência! :)

E no final dá sempre tudo certo… o medo da chuva se transformou em sol quente e brilhante! Ganhei abraços e sorrisos, várias borboletas vieram visitar a gente, fiquei descalça o tempo todo – não tem preço! – e ainda deve sair na Folha de São Paulo uma foto da nossa produção. Foi a minha melhor festa de aniversário da história.

Um amigo desses que está aí nas fotos me falou outro dia que tem achado bonita essa história de envelhecer, de ver os amigos com filhos, cabelos brancos… e de repente eu entendi também.
Estou feliz :)

Agora fiquem com as fotos… e são muuuuitas! Imagina, né? Festa de fotógrafa, tudo pensado pra foto. Aí vem um monte de convidado fotógrafo… cada um que pegava a máquina imprimia na minha memória o seu olhar <3 Quando a cabeça começar a falhar, vai ficar contente de ter tanta ajuda pra lembrar :) ♥, S.
a decoração :)


a festa <3

Sei que falando assim parece estranho, mas hoje eu ganhei um abraço de comer.

E o entregador era na verdade uma menina linda, de mechas pink nos cabelos, de sorriso tímido, de tinta na pele e muito amor no coração.

E o abraço de comer é o melhor bolo de fubá de todos os tempos! Com casquinha por fora e fofinho por dentro. Com cheiro de casa de vó numa tarde de domingo.

Essa visita linda aconteceu pra gente falar de trabalho e acabamos fazendo terapia, compartilhando sonhos, angústias e histórias.

Descobri que a menina de voz pacata e doce é fazedora de doces deliciosos e que temos mais em comum do que imaginávamos. Falamos de projetos futuros e eu espero que eles sejam concretizados logo logo.

Como é bom a gente sentir amor, né? Assim fácil! E se você quiser um abraço de comer, pode encomendar aqui, no site dela! Pode pedir pra uma tarde de chá, pro picnic, pra presentear alguém, pra comemorar alguma coisa conquistada… bolo feito de carinho como esse cai bem a todo momento.

♥,
S.